9 de março de 2017

Sobre meu eu profundo, tão pagão...

Eu posso acessar outros mundos, se eu quiser... Transcender por alguns momentos esta existência, visitar outros espíritos irmãos...
Mas eu prefiro caminhar pelas matas e florestas misteriosas, nas quais meu insignificante conhecimento da vida não me faria viva por muito tempo, sem os artifícios humanos de autopreservação.
Eu prefiro estar aqui e fazer do meu lar um lar para outros espíritos irmãos, que chamamos de animais...
Posso sair daqui e escolher não mais voltar, numa jornada insólita para o outro lado, tão incrível e diferente... Eu posso, sim...
Mas eu prefiro aqui sentir meus pés pisar a Terra com graça e força, sentindo a energia regeneradora e geradora me transformar. Eu prefiro me ver passar pelo tempo, sem pressa de estar do outro lado. O dia vai chegar.

Eu posso viver os estados alterados da minha mente, saindo desta realidade por algum tempo. Isso pode ser regenerador.
Mas eu prefiro estar num estado alterado pelo cheiro da chuva chegando ou do mato molhado, inebriada pelos odores e sabores da Terra a qual pertenço.
É possível se encantar com exercícios que te dão a impressão de ser mais poderoso, capaz de fazer coisas que a maioria, preguiçosa em se exercitar, não consegue.
Mas e se eu te dissesse que a forma mais poderosa de ser consiste na forma como você trata o seu mundo? E se eu te dissesse que o exercício de ser melhor é o mais complexo que existe, e que os resultados desse teu eu exercitado podem produzir resultados nunca antes vistos? Fantásticas experiências em tua existência poderiam acontecer..

E se eu te dissesse que tudo de que precisa para isso é viver a natureza, sendo o guardião-parte dela?
Te digo que é assim que vivo. E é assim que quero viver cada vez mais... cada vez mais.

Te digo que não há outro lugar em que eu queira estar senão na Terra.
Não quero deixar de reencarnar, sair da roda, ir para um lugar melhor. Eu quero fazer deste um lugar melhor. Esta é minha função nesta Terra. Esta é minha casa. Eu sou daqui e aqui quero permanecer.
Eu sou daqui e não me agrada nenhum caminho que me diga que, se eu for boazinha, poderei sair daqui.

Voltarei tantas vezes me seja permitido.
Por que eu sou filha desta Mãe, deste Pai.

Adoro o céu... visto da Terra.
Postar um comentário