15 de dezembro de 2008

ARCANO XVI - A TORRE


Esse arcano talvez seja o que mais variedade de denominações possua. É mais conhecido como A Torre, porém também, pode ser encontrado como A Casa de Deus, A Destruição, O Raio, A Casa do Fogo, A Fragilidade, A Guerra.


Seu número é 16 e, segundo alguns autores, 4x4 significa o extremo da matéria, a matéria que atinge tamanha concentração e acaba por se desintegrar.

Na sua representação gráfica uma torre é fulminada por um raio – ou pelo fogo, em outras representações. É possível ver duas pessoas caindo no chão.

A Torre é o arcano da destruição, da mutabilidade, da transformação dolorosa. O raio ou a labareda que vem do céu representa a força que está além da nossa, a força dos Deuses, a força da qual não podemos escapar ou a qual não podemos enganar. A Torre é o símbolo da perda total. Ao fim do processo que A Torre encerra, teremos de construir novamente, tijolo a tijolo nosso lar, nossa vida, nosso amor, nosso trabalho, nossas amizades.

A destruição que a Torre traz é de tudo aquilo que construímos e que acabou nos aprisionando, ainda que neguemos isso, ainda que não notemos.

Esse arcano simboliza a destruição das formas, dos conceitos, de tudo aquilo que foi por nós construído, tijolo a tijolo, com dedicação e amor. Pode parecer um arcano nefasto numa primeira análise, pois tira de nossas mãos o que amamos, nos derruba dos postos que alcançamos com tanto empenho, destrói relações que construímos e mantivemos de forma profunda. O raio que atinge a Torre nos tira o chão, ou melhor, nos lança ao chão sem aviso. É doloroso, é por vezes traumático, mas é preciso que compreendamos que o raio destrói padrões que devem ser mudados. Muitas vezes construímos uma Torre linda, que nos protege das dores do mundo, é nosso lar, nosso refúgio. Sentir esse refúgio ser destruído por um raio é doloroso demais, deixa marcas, nos faz chorar, nos faz sangrar.

No entanto, a destruição da Torre é necessária.

Quando transformamos nossa Torre numa prisão, ela precisa ser destruída. Pode ser que nem notemos que transformamos nossa Torre numa prisão, pode ser que continuemos dizendo para nós mesmos que aquele é nosso lar, aquela é nossa vida, aquela Torre é nosso trabalho, é nosso amor, aquela Torre é nós mesmos...

A Torre destrói a vida organizada, a rotina, aniquila prisões externas (modo de vida, pessoas, trabalho) e internas (identidade, o eu). É o implacável fim doloroso, a destruição do véu de Maya (ilusão), a explosiva desintegração.

Se conseguirmos passar pela Torre e deixar aniquilar tudo aquilo que é necessário, passaremos para um estágio bem mais sereno. Lembre-se que as pessoas, na representação gráfica da carta, caem no chão, na Terra, na Mãe Terra... São sementes lançadas.

O raio que destrói a Torre nos abala, abala todas as nossas estruturas, nossa fé, nosso eu. Simboliza um poder acima do nosso, note que o raio, ou fogo, vem do céu, a morada dos Deuses.

É um arcano de vivência complicada e delicada, pede muita clareza e compreensão para passar pela situação que A Torre implica, para que não nos percamos durante a lição desse arcano.

PALAVRAS-CHAVE: destruição, evolução, dinamismo, mudança, transformação.

SITUAÇÃO: mudança inevitável e acima de nossa vontade. Destruição material ou não de uma situação que existia há bastante tempo.

PERSONALIDADE: pessoa transformadora, que traz mudanças ou que traz perdas.

ASPECTOS POSITIVOS: mudança, liberação, liberdade, tomada de consciência, destruição ou rompimento com padrões limitadores.

ASPECTOS NEGATIVOS: crise, destruição, perdas, quebras, ruína, desestabilização por erros próprios, decepção, fim doloroso de algo bom.


QUESTIONAMENTOS IMPORTANTES ACERCA DO ARCANO 16

Eu já passei por algum processo que lembre A Torre? Como foi? O que aprendi?
Tenho em minha vida alguma Torre, que eu pensei ser um refúgio, uma proteção e acabou por se revelar uma prisão?

Em relacionamentos eu já estive presa numa torre?

Costumo deixar morrer aquilo que precisa morrer em minha vida, mesmo que esse processo seja doloroso e brusco?

Quantas vezes eu caí na vida e o que aprendi com tudo isso?

Eu me deixo aprisionar facilmente?

Eu consigo distinguir proteção, cuidado e segurança de prisões?
Postar um comentário