16 de outubro de 2008

A MULHER IDEAL

*Um comentário antes de ler:

Esse texto foi escrito há alguns anos e algumas coisas mudaram desde que escrevi esse mini ensaio, eu já não fumo, eu já não sou solitária no caminho estranho de ser.

Porém, continuo detestando novelas, falando alto sendo um mulher longe, bem longe do normal e ideal... Graças aos Deuses!


Não...

Definitivamente, nunca fui.

Também nunca fui a filha ideal, tive meu filho aos 17 anos, de um porra louca com a cara do River Phoenix.

Também nunca fui a amiga ideal, retorno as ligações das pessoas queeu mais amo, semanas depois.

Nunca fui a adolescente ideal, a Legião Urbana estava muito longe deser a minha banda predileta.

Como cidadã, não posso dizer que sou ideal... jamais acreditei que o Lula pudesse mudar o Brasil.

A mãe ideal?

Não, também não sou... avental sujo de ovo? Deuses!

Acabei de me dar conta daquilo que menos sou: a mulher ideal.

Céus, que ser é esse?

Quando ouvi de sua ex - ser dotado de estranha submissão, chacota deLilith, a Eva sem Adão- que eu não sou a mulher ideal para você, fiquei feliz.

Talvez isso me deixasse chateada tempos atrás...Hoje me orgulho. Amanhã talvez não. Quem vai saber?

Não sou o tipo de nora que sua mãe adoraria ter. Eu odeio tricot e faço ela se lembrar, com o gosto amargo, daquilo que ela deveria ter sido se deixasse de pensar como o seu pai queria.

Também nunca serei a namorada ideal para você. Eu falo alto, eu sou um imenso sorriso, e muitas bofetadas. Além do mais, eu fumo, eu bebo, odeio novelas, gosto e, muitas vezes, preciso estar sozinha entre meus livros e músicas...Sou mãe, filha e caçadora. Jamais dependerei da sua aprovação, da sua voz, do seu dedo me indicando o que fazer..Sou tudo aquilo que você mais teme, meu amor... a devassa, a bruxa, a mulher, a Deusa...

Sou a aquilo que muitas sempre desejaram ser e nunca tiveram coragem. Sou feliz assim.

Sou feliz por ser assim, embora seja um tanto solitário esse caminho.

Cada um tem o que merece, o que planta e colhe...

Frases feitas...

No fundo a verdade é esta: Aquele que vencer o desequilíbrio e o medo, poderá me possuir, e eu também poderei possuí-lo.

Aquela que tiver a coragem de ser quem se é, será minha igual e nos admiraremos mutuamente.

Poucas pessoas corajosas encontrei na minha, ainda curta, jornada, e as maiores, posso dizer com firmeza, foram as que ousaram SER.

Claro, tem que observar bem porque quem É, simplesmente É, sem precisar contar seus títulos.

Para muitos, tudo isso é ser diferente, estranho... Para alguns, ser normal é ser o que se é (e não é?), simplesmente viver intensamente a liberdade ofertada.

Todos podem escolher por qual trilha seguir.

O que é ser normal para a sociedade? Ideal para os padrões?

Palavras chatas e mornas, são bocejos...

Normal como a tarde de um desempregado.

Ideal como uma diarréia no baile de formatura.

Que os Deuses jamais permitam que eu seja normal-ideal!
Postar um comentário