3 de março de 2004

A MULHER

A MULHER

Ela vai pela vida como quem dança de olhos fechados... mas enxerga tudo nitidamente.
Tudo é tocado pelos Deuses de maneira especial. Mas ela... ela também pode tocá-los.
É com Eles que ela fala quando dança de olhos fechados, movimentando seu corpo com movimentos circulares.
É com Eles que ela conversa quando grita e ninguém ouve.
Quando chora e nem vê.
Quando ama e nem mesmo se dá conta.
Estranha mulher que caminha pelo mundo e atrai para si a atenção de alguns, o desprezo de outros, e ânsia de todos. Por que ela é aquilo que todos desejam ser.
Por isso ela ri, chora, encara o espelho negro e reconhece a face dos Deuses.
Por isso ela passa pela Terra e deixa sua marca, seja essa um afago inesquecível, ou um rasgo profundo na carne.
Ao passar pelo mundo, ela é vista como sacerdotisa, mãe, moça, bruxa, puta... A vida para os capazes de mergulhar sem medo em seu caldeirão, a morte para quem mergulha agarrado ao medo.
É fácil apontar quem é essa mulher.
Difícil é compreender a extensão de seu poder.
Difícil é conviver com tamanha luz e tamanha treva.
Por isso é chamada de muitos nomes, por isso ela é venerada e afastada, idolatrada e desprezada.
Ela contém o real brilho do Sol, a verdadeira escuridão da Lua, e a inigualável força da Terra.
Ninguém pode domar sua natureza de loba, se águia, de coruja, de serpente...
Ela é a mulher que arrasta ruas, que derruba montanhas, que acalma as águas.
Ela é a mulher da terra, do asfalto, da caverna.
Ela é a Deusa transformada em Demônio.
... ELA MORA DENTRO DE VOCÊ.
Postar um comentário