29 de novembro de 2008

ARCANO VII - O CARRO

O Carro é considerado por alguns estudiosos como a carta da vitória. Não é por outro motivo que no Tarô Egípcio esse arcano é chamado de O Triunfo. E, de certo modo, esse é um arcano de vitória, mas não simboliza uma vitória final.

O arcano VII simboliza a vitória da vontade. Alguém sob a influência desse arcano sente-se impelido a tomar as rédeas de sua vida, procura dirigir sua vontade para a consecução de seus anseios, ainda que não saiba definitivamente o que quer.
O Carro simbolizando a tomada das rédeas de nossas vidas, sem sombra de dúvida nos permite compreender por que esse arcano é tido como O Triunfo. Quando tomamos em nossas mãos a direção do carro de nossas vidas, somos vitoriosos. Quando não nos deixamos mais nos levar por fatores externos, por tudo aquilo que sufoca nossa verdadeira essência.

Representa, portanto, a renovação criativa, a vontade de equilibrar contradições internas ou externas, as emoções contraditórias, para poder decidir de forma correta.

É a primeira iniciação (morte e renascimento) pela qual passamos, deixando para trás certas rotinas, certos hábitos, para buscar novos horizontes, ainda que estejamos talvez perdidos pelo caminho. Essa iniciação gera dificuldades, pois para vencer o guerreiro deve aprender a ser soberano de seus instintos.
No Tarô Mitológico esta carta é simbolizada por Ares, o Deus da Guerra, significando nossos instintos mais fortes, prontos para guerrear.
Os dois cavalos que puxam o carro seguem direções opostas, simbolizando as contradições, as dicotomias que nos impedem de seguir nosso rumo. Conseguir guiar o carro diante das adversidades e de nossas próprias contradições é a grande vitória da qual trata esse arcano.
É a plena capacidade do ser humano em administrar uma situação através da maturidade, por conseguir experienciar os predicados de sua personalidade. É o triunfo alcançado mediante nossa vontade.
O arcano sete encerra o conjunto das sete primeiras cartas dos arcanos maiores, que representam o desenvolvimento da personalidade, das qualidades do ser humano. Simboliza, portanto, o fim de um ciclo e o início de outro, o sentido de uma iniciação (morte e renascimento).
A partir desse arcano um novo ciclo se iniciará e o iniciado precisa ser dono de suas vontades, conhecer a si mesmo e saber controlar sua vida para que compreenda, a partir do novo ciclo que se inicia, que não se é o personagem principal. Ainda que o ciclo seja desconhecido e provoque medo, o iniciado sabe que e deseja dar o próximo passo, mesmo que isso signifique romper com certos aspectos.

É representado graficamente nos tarôs clássicos como um jovem altivo que dirige um carro puxado por dois cavalos, um de cada cor e seguindo em direções opostas. O jovem segura em sua mão um cetro e em sua cabeça tem uma coroa.

PALAVRAS-CHAVE: progresso, independência, vontade, vitória.

PERSONALIDADE: pessoa determinada, disposta a fazer esforços, usando sua vontade para atingir objetivos, ainda que essa pessoa não saiba exatamente quais são.

SITUAÇÃO: o final de um ciclo e o início de outro, umas situação em vias de evolução, de transformação. Uma mudança que, embora possa gerar conflitos, será benéfica.

ASPECTOS POSITIVOS: coragem, vontade, determinação para vencer obstáculos, perseverança, mudança positiva, vitória, sucesso, boa viagem, boa sorte em projetos.

ASPECTOS NEGATIVOS: adversidades internas ou externas, incapacidade de transpor obstáculos, dificuldades para se controlar, fracasso causado por nossas próprias ações, desânimo, falta de energia e de vontade, incerteza, vaidade tola, falta de tato, covardia para enfrentar uma situação.

QUESTIONAMENTOS RELEVANTES ACERCA DO ARCANO VII

Eu sempre tive as rédeas da minha vida em minhas mãos?
Qual a o preço a pagar por ser dono(a) da minha vida?
Eu permito que outras pessoas me guiem pela vida? Pq?
Quais os meus aspectos mais contraditórios?
Sou capaz de conciliar meus aspectos contraditórios?
Eu costumo a tomar decisões baseadas em minha vontade? Pq?
Quando eu digo “sim” ou “não”, o faço de acordo com a minha vontade real?


Figura: Rider Waite

Postar um comentário