29 de julho de 2003

As Crianças de Diana

As Crianças de Diana


Todas as coisas foram criadas pro Diana, os grandes espíritos das estrelas, os homens em seu tempo e local, antigos gigantes, e os gnomos que habitam as pedras, e que uma vez por mês a cultuam com bolos.
Havia certa feita um jovem pobre, sem pais, mas que era bondoso.
Certa noite, ele estava sentado num local ermo, mas de grande beleza, e lá avistou mil pequenas fadas, reluzentemente brancas, dançando sob a luz da Lua Cheia.

"Como gostaria de ser como vós, ó fadas!" disse o jovem, "livre de preocupações, sem necessidade de alimento. Mas que sois?"

"Somos raios de luar, as crianças de Diana,"
respondeu uma delas;

"Somos as filhas da Lua.
Nascemos da luz cintilante;
Quando a Lua lança um raio,
Este então assume a forma de uma fada.

E tu és um de nós, pois nasceste quando a Lua, nossa Mãe,
Diana, estava plena; sim, nosso irmão, nosso parente,
pertences a nosso bando.
E quando estiveres com fome ou em miséria... e não houver
dinheiro em teu bolso, então pense na Lua, em Diana, de
quem nasceste; e repita então estas palavras:

Lua, Lua, Bela Lua!
Mais bela que qualquer estrela;
Lua, ó Lua, se possível for,
Lance a mim teu favor!

E então, se tiveres dinheiro em teu bolso, este será multiplicado
por dois.
Pois as crianças nascidas em noite de lua cheia são filhos
e filhas da Lua,

'Boa noite, belo bode!'
E ele responderá,
'Boa noite, belo senhor!
Estou tão cansado
Que não posso prosseguir'


E deves responder, como de costume,
'Bela Diana, eu te invoco
Para que conceda a este bode alívio e paz!'

Então engressaremos em grande salão onde verás muitas belas
donzelas que tentarão te fascinar; mas deves responder,
'Aquela que eu amo é aquela de Monterone.'
E agora, Gianni, ao cavalo, montar e partir! Então ele montou
no gato, que partiu lesto como o pensamento,
e encontrou-se com a égua, e em tendo lançado sobre ela o encantamento,
esta se transformou em mulher e disse:

'Em nome da Bela Diana!
Que a partir de agora tu te tornes
Um belo jovem,
De tonalidade vermelha e branca,
Como o sangue e o leite!

Após isto, ele encontrou o bode, e conjurou-o do modo
adequado, ao que este repetiu:
'Em nome da Bela Diana!
Que trajes vestes mais ricas
que as de um príncipe!'

Então ele ingressou no salão, onde foi cortejado por belas damas,
mas sua resposta a todas foi que seu amor estava em Monterone.

Então ele nada mais viu ou conheceu, mas ao despertar
viu-se em Monterone, e transformara-se num belo jovem a
todos desconhecido. casou-se então com sua bela dama, e
viveram todas a vida secreta dos bruxos e bruxas da época,
e agora estão na Terra das Fadas."

Trecho do livro Aradia - de Charles G. Leland.
Postar um comentário